1/1

Feira Nordestina de Ciências e Tecnologia

A FENECIT - Teve sua primeira edição no ano de 2004 no município de Camaragibe – PE. Foi inspirada no movimento de feiras de iniciação científica para o Ensino Básico no Brasil, movimento esse liderado pela FEBRACE- Feira Brasileira de Ciências e Engenharia- USP- SP; MOSTRATEC – RS e CIÊNCIA JOVEM- PE. A partir de sua quinta edição a FENECIT tem ampliado sua aceitação para projetos de todas as regiões do país.

Além da exposição de projetos, a FENECIT conta com eventos integrados como o SENECIT - Seminário Nordestino de Ciências e Tecnologia, e o POP - Inspirando Boas ideias.

Objetivos da FENECIT

Geral:

Despertar nos alunos o interesse pela produção e saber científico, através da construção de projetos de pesquisas no cotidiano escolar.​

Específicos:

  • Possibilitar o contato mais direto com o conhecimento científico produzido atualmente nas universidades do Brasil.

  • Enfrentar e analisar situações problema existentes nas comunidades.

  • Construir argumentação: relacionar informações e conhecimentos disponíveis em situações concretas.

  • Elaborar e introduzir propostas de intervenções, utilizando os conhecimentos desenvolvidos no cotidiano escolar.

  • Selecionar e interpretar dados coletados a partir de objeto de estudo selecionado pelo próprio estudante.

  • Incentivar a criatividade e inovação existente no estudante.

A produção científica em escolas de ensino fundamental e médio representa uma etapa para o crescimento do país, pois com este tipo de iniciativa o cotidiano escolar torna-se mais dinâmico e atrativo para os jovens, levando-os a buscar o conhecimento. 

A prática da pesquisa no cotidiano escolar visualiza o aluno como produtor de conhecimento e não só como espectadores do mesmo, estimulando-os a aprender a aprender. A atual metodologia de ensino, ainda hoje muito utilizada, em que o aluno deve memorizar o conhecimento sem questioná-lo, tornando-o apenas um receptor de conhecimento e não um ser pensante produtor deste, desestimula o estudante a buscar o conhecimento.

A pesquisa científica vivenciada no cotidiano escolar desperta o gosto pelo saber. A curiosidade do aluno neste processo é de grande relevância, visto que, tudo aquilo que ensinamos aos nossos alunos, eles perdem a oportunidade de aprender. Quando um aluno é desafiado a construir um projeto utilizando a pesquisa científica vai existir uma quebra de paradigma na estrutura educacional, pois o professor deixará de ser um expositor de informações e passará a ser um orientador de tudo processo.